Livros · Resenha

RESENHA: Beleza Cruel

Oi gente, tudo bem?

Há uma semana ou duas, não me lembro, eu comecei a ler Beleza Cruel. Achei o livro em um vídeo de uma booktuber gringa e me encantei com a premissa: Uma releitura do meu clássico favorito, A Bela e a Fera. Bom, vocês sabem como eu sou com contos de fadas, coloquei na minha wishlist do skoob na hora, o que eu não sabia era que o livro já tinha tradução. Então, quando meu irmão querido me levou na livraria para que eu escolhesse um presente de aniversário, e eu achei Beleza Cruel na prateleira, fiquei: UAU. É o destino. E, obviamente, escolhi esse exemplar. Comecei a ler o livro um tempinho depois e o começo da história foi muito envolvente. Fiquei vidrada e muito curiosa para descobrir o grande segredo do livro. Até postei uma foto no instagram falando que estava lendo.

13435650_956616664456358_1404263674_n

A história é sobre uma garota chamada Nyx que vive em uma cidade chamada Arcádia, que é isolada do resto do mundo por causa de um terrível acontecimento chamado A Separação (você pode interpretar como Pangeia, ou não) e agora está nas sombras, dominada por um lorde e seus demônios. Como toda boa protagonista, Nyx tem uma missão: ela deve se casar com Lorde Gentil (o príncipe dos demônios) e matá-lo, para assim poder salvar sua cidade e seu povo. Isso tudo graças a um acordo (bem babaca) que o pai dela fez anos atrás com o tal Lorde, de que uma de suas filhas casaria com ele.

what

Bom, Nyx vive em uma sociedade que acredita em vários deuses da mitologia grega/romana e nos elementos básicos: água, terra, fogo e ar (os trabalho herméticos, como são chamados nos livros, o nome se baseia em Hermes) e ela deve encontrar todos os trabalhos no castelo e destruí-los. O que Nyx não esperava era se apaixonar por Lorde Gentil, mesmo que ele seja um monstro. Aí vocês até podem falar: Nossa, isso é mais um caso de Síndrome de Estocolmo, mas não é. Nyx começa a conviver e até a entender um pouco sobre Lorde Gentil. Ela não concorda com seus acordos, mas começa a ver através de suas maldades. O ponto interessante é que Nyx também não é boa, ela quer salvar o povo sim, mas ela tem muito ódio do pai, da irmã e da tia. Ela se sente injustiçada por ter de ir, sendo que sua irmã tem exatamente a mesma idade que ela. Por que o pai a vendeu? Por que ela foi a escolhida?

A relação do livro com o clássico A Bela e a Fera é bem óbvia, mas também temos os elementos mágicos, como o castelo. O castelo de Lorde Gentil é totalmente mágico, as portas mudam de lugar e a comida aparece do nada. Nyx também recebe chaves que abrem determinadas portas, mas há certos lugares que ela não pode visitar.

Eu gostei bastante do início da história, peguei um ritmo legal para ler, mas chegando perto do final, umas cinquenta páginas para acabar, eu fiquei meio cansada. Tudo começou a acontecer depressa demais e ficou bem confuso. Acho que a autora se perdeu um pouco e talvez o final “feliz” que ela sonhou, não fosse necessário. Eu indico o livro, mas já aviso: tenha paciência. Se você não gosta de escritas muito floreadas, não leia. Rosamund escreve de um jeito tão bonito que parece poesia aos olhos ❤

13407495_956616691123022_1380897670_n

Título original: Cruel Beauty/ Autora: Rosamund Hodge / Editora: Novo Século / Nº de páginas: 312 /Ano: 2015

Fones - Copia (4)

branco
Anúncios

Um comentário em “RESENHA: Beleza Cruel

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s