Livros · Resenha

RESENHA: Corações Feridos

Oi gente, tudo bem?

10994845_770450549739638_360970108_n

Tem dias que eu nem sei como começar uma resenha, não sei se foco em resumir o livro ou falar minha opinião sobre tudo de um modo bem geral. É confuso, ou melhor, eu sou confusa. Enfim, o problema é que geralmente isso é opção minha, não do livro, mas dessa vez foi diferente. Esse livro é um mistério. A sinopse nos dá poucas informações relevantes e temos de ler quase até o final para descobrir absolutamente tudo. Talvez você consiga supôr, eu não sei, mas é um livro que não há como resenhar sem dar spoilers específicos, então eu juro que vou tentar.

Hephzibah e Rebecca são irmãs gemêas, mas enquanto Hephzi é linda e estonteante, Reb tem o rosto deformado pela Síndrome de Treacher Collins, uma doença genética que não permite que o rosto desenvolva normalmente. Então você pensa: nossa, o ponto principal do livro vai ser essa doença e como as irmãs gêmeas são diferentes, vai ter um pouco de preconceito e até mesmo bullying, bom meu caro amigo, você está totalmente enganado. Como se não bastasse essa Síndrome, as duas ainda são filhas do pastor local. Um homem que é um santo na visão geral, mas assim que nos aproximamos lentamente da casa onde essa família mora, podemos perceber que os frascos mais bonitos guardam os piores venenos. O tão aclamado pastor é, na verdade, um monstro. Ele bate nas filhas e as oprime de todas as formas. As duas vivem sem nenhum tipo de tecnologia e não frequentam a escola, são educadas em casa, de forma que todos os assuntos normais para adolescentes como sexo e menstruação, não são abordados em casa.

Tudo estava exatamente como sempre, até que as duas conseguem permissão para frequentar à escola, na qual Hephzi conhece um rapaz, Craigh, e Rebecca conhece a biblioteca, o templo de um leitor. Ambas acham que as coisas vão começar a melhorar, até que Hephzi começa a namorar o tal rapaz e as coisas começam a ficar perigosas.

11418294_770448919739801_1677866422_n

O livro começa com a morte de Hephzibah e o motivo só é revelado com o tempo, então tenham paciência. A narrativa não é rápida nem lenta, tem um ritmo bem okay. O livro é bem curtinho mesmo, tem apenas 250 páginas. Não posso dizer que foi o melhor livro de drama que eu já li, pois não foi, contudo eu gostei e foi mais do que eu esperava. Nunca tinha lido nada da autora e, apesar da escrita não ser exatamente como eu gosto, a história me prendeu bastante. Eu queria muito saber o que ia acontecer.

Uma das coisas que eu menos gostei no livro era da atitude de Hephzi, ela tinha pensamentos malvados em relação à irmã. Isso meio que acabava com a ideia de união que as duas deveriam ter devido a situação delas na casa. Então acho que isso faz com que o livro fique ainda mais sombrio.

Também posso afirmar que as situações que as duas irmãs enfrentam em casa são bem comuns na sociedade atual, o assédio e violência doméstica, as dificuldades da adolescência, tabus, religião. É um livro atemporal que atua como alerta a todos os problemas sociais presentes no nosso cotidiano. Acho importante levantar essa questão, então lembre-se disso quando estiver lendo Corações Feridos.

O livro é bem pesado com uma mensagem bem forte.

Título: Black heart blue / Autora: Louisa Reid / Editora: Novo Conceito / Número de Páginas: 250 / Ano: 2013

Por: Isabela Sobo

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s