Crítica

CRÍTICA: Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1

Katniss pôster
Faz uma semana que o filme mais esperado do ano está nos cinemas! Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1 estreou na quarta-feira passada, fazendo com que os fãs saíssem tremendo e cantando uma certa música depois da sessão. A adaptação está tão boa que assisti o filme 3 vezes, na estreia,  sexta e sábado com a Isa e alguns amigos. E é por isso que decidi fazer uma crítica sobre o filme. Pode não ser uma crítica profissional, mas é uma crítica de fã que leu os livros para outros fãs dos livros.

CRÍTICA
A primeira cena já mostra que a atmosfera desse filme é completamente diferente dos anteriores. Katniss não se encontra em seu melhor estado psicológico e ela não é a única, Finnick está em um quarto amarrando uma corda, igual ao livro. O que ele diz quando aparece revela a tensão, desespero e tristeza que rodeiam o filme do início ao fim. Para que Katniss se lembre quem é o inimigo e se torne Tordo, a Presidente Coin e Plutarch permitem que ela vá ao Distrito 12. O cenário é devastador, com as casas destruídas, o Edifício da Justiça em pedaços e os ossos dos moradores que não conseguiram escapar. É uma cena rápida que, com a ótima atuação de Jennifer Lawrence, demonstrou bem o que a protagonista sentiu no livro. O único lugar que aparenta estar intacto é a Aldeia dos Vitoriosos, que é onde Katniss pega a jaqueta de seu pai, uma foto dele, Buttercup e encontra o aviso do Presidente Snow, uma rosa branca. Deixando o clima mais pesado, Peeta aparece pela primeira vez na televisão.

Katniss e Coin - A Esperança Parte 1
Depois de fazer suas exigências para ser o Tordo, Katniss começa as gravações dos pontoprop e rende as raras risadas no filme. Que a protagonista não se lida bem com as câmeras todo mundo sabe, desde o primeiro livro/filme, e ver a garota em chamas tentando seguir um roteiro e fingindo que saiu de uma guerra deixa a seriedade da situação um pouco mais leve. Mas esse não é o único momento cômico, Effie Trinket em um macacão e com saudade das coisas da Capital, principalmente suas perucas, faz com que você se esqueça por alguns momentos que uma rebelião está acontecendo. Sem contar Haymitch que não pode tomar suas doses diárias de álcool por causa das regras do Distrito 13. A melhor interação entre Effie e Haymitch acontece quando ele diz que gosta mais dela sem peruca e Trinket responde que prefere ele sóbrio.

Effie Trinket - A Esperança Parte 1
Usando seu traje de Tordo criado por Cinna, Katniss grava o primeiro prontopop sem roteiro. É emocionante quando as pessoas do Distrito 8 descobrem que ela está viva e fazem a saudação. A situação muda quando eles são atacados pela Capital e Katniss e Gale tentam impedir que o bombardeio não seja pior, mas é tarde. Com tudo pegando fogo, a cena é uma das mais esperadas por quem leu o livro, principalmente porque é nessa hora que Katniss diz ”Se nós queimarmos, você queimará conosco!” para o Presidente Snow. Começando a batalha.

Katniss - A Esperança Parte 1
O elenco está incrível, os atores souberam expressar o que os personagens sentiam e como cada um foi afetado pela rebelião. Jennifer Lawrence compreendeu perfeitamente o psicológico de Katniss, que está completamente abalado. As mudanças de humor da personagens, às vezes na mesma cena, foram muito bem interpretados pela atriz, como sempre. Sam Claflin, mesmo não aparecendo muito, captou a desolação de Finnick. Sempre com o olhar perdido, amarrando uma corda e aquela vontade de se erguer e fazer alguma coisa para salvar quem ama. Liam Hemsworth não ficou atrás, nessa história Gale tem mais destaque que nos anteriores e o ator soube aproveitar. A sede de vingança pelo seu Distrito, a vontade de lutar, o medo de perder a garota que ama e a dúvida de confiar ou não em seu rival estavam presentes. Josh Hutcherson merece aplausos pela sua atuação. Mesmo com Peeta aparecendo em vídeos da Capital na maior parte do filme, a expressão facial do ator mostrava tudo que o personagem sentia e as cenas finais fazem com que até quem não gosta do personagem fique com um aperto no peito.

Gale e Katniss - A Esperança Parte 1
Por ser uma adaptação, algumas partes do livro foram modificadas e outras adicionadas, até porque é a Katniss quem conta a história e existem coisas que ela não presenciou. Como os Distritos contra os pacificadores e o regaste dos vitoriosos na Capital. Essas cenas não estragaram a história, elas a deixaram melhor. A única coisa que senti falta foi do Finnick um pouco animado, andando de cueca e o desenvolvimento da amizade dele com a Katniss. Em compensação, um dos momentos que os fãs queriam ver foi para as telonas e fez com que todo mundo saísse do cinema cantando. A música ”A Árvore Forca” na voz de Jennifer Lawrence ficou ótima e com uma sequência de cena que te deixa com vontade de se juntar a eles na luta contra a Capita. Agora é tentar superar a cena final e contar os dias para Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 2.

Por: Yasmim Bragaia

Anúncios

Um comentário em “CRÍTICA: Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s