Resenha

RESENHA: Insurgente

Insurgente
Os problemas que acontecem e as mortes de Divergente parecem o primeiro estágio de um jogo de vídeo game, porque o que acontece em Insurgente deixa você ansioso para ler a próxima página para saber o que Tris vai aprontar e descobrir. A adaptação cinematográfica do primeiro livro da trilogia de Veronica Roth levou tantas pessoas ao cinema que as gravações da adaptação do segundo livro começaram dia 27 de maio. Por isso nada melhor do que uma resenha dessa nova etapa de Tris após a invasão no Complexo da Abnegação.

RESENHA:
A história começa exatamente onde Divergente terminou, com Tris, Tobias, Caleb, Marcus e Peter no trem a caminho do complexo da Amizade. Só que esse começo não é tão simples, porque a primeira frase do livro é ”Eu matei Will”. Esse pensamento e culpa perseguem a Tris durante o livro. Ao chegarem na Amizade eles encontram alguns membros da Abnegação que conseguiram fugir e resolvem ficar lá até decidirem o que vão fazer em seguida. É  lá que Tris corta o seu cabelo, briga com Peter ao descobrir que ele roubou o disco rígido do seu quarto, conversa mais com Caleb e assusta Tobias quando os membros da Amizade aplicam o soro da paz para acalmá-la. Essa é uma das cenas mais engraçadas do livro, com Tris feliz e pulando atrás de Tobias que odeia ver a namorada agindo como uma boba alegre. Tris também ouve uma conversa entre Marcus e Johanna, representante da Amizade, em que ele diz que os membros da Abnegação morreram para proteger um segredo.  A garota o confronta para saber o que é esse segredo, mas Marcus não diz nada. Enquanto Tris e Tobias planejam sair do complexo da Amizade, membros da Erudição e traidores da Audácia aparecem e um tiroteio começa quando um dos traidores vê a tatuagem de Tobias. Ele, Tris, Caleb e Susan, amiga de Tris na Abnegação, conseguem pular para dentro de um trem que está cheio de sem-facção armados, incluindo Edward que participou da iniciação da Audácia com Tris.

Eles só não são mortos porque Tobias diz seu nome completo, Tobias Eaton, e os sem-facção os levam até um dos lugares em que vivem. Quando chegam Tris fica surpresar ao ver que existem tantos sem-facção e que eles parecem felizes. Edward os leva até a líder do grupo, Evelyn. Ela explica algumas coisas sobre os sem-fação e deixa eles ficarem por lá. Durante a noite Tris ouve uma conversa entre o namorado e Evelyn, que tenta o convencer a juntar a Audácia com os sem-facção para derrotar a Erudição. Tobias não da uma resposta direta e no dia seguinte não fala sobre a conversa com Tris. Os dois vão para a sede da Franqueza enquanto Caleb e Susan decidem ir para uma zona segura onde os membros da Abnegação estão vivendo. Ao chegarem na Franqueza Tris e Tobias se entregam e são presos até serem levados para uma sala onde Jack Kang, líder da facção, vai administrar o soro da verdade no casal para saber o papel deles no ataque contra a Abnegação. Tobias acaba sendo obrigado a falar sobre seu passado, incluindo as agressões do pai. Isso deixa Tris com raiva e mais medo por acabar contando sobre a morte de Will. A garota fica surpresa ao perceber que conseguia dominar o soro da verdade e falar apenas o que achava necessário. Mesmo assim ela resolve contar que atirou em Will na frente de Christina, sua amiga e namorada de Will. Tobias fica chocado ao saber que Tris não contou algo que a magoava tanto para ele e os dois acabam brigando. Eles e Christina não são os únicos membros da Audácia que estão na sede da Franqueza, Uriah, Lynn, Marlene e muitos outros também estão refugiados e pensando em maneiras de derrotar a Erudição que está disposta a encontrar os divergentes.

insurgente
Nesse livro nós conhecemos os lugares que cada facção vive, porque depois da sede da Franqueza e da Abnegação Tris vai para a da Erudição. O que não é nada recomendável quando todos sabem que Jeanine está atrás dos divergentes. Mas é lá que percebemos mais o que está acontecendo com a personagem. A dor de perder os pais de uma única vez, matar o melhor amigo e se ver em perigo constate deixam Tris procurando a morte. Não é atoa que ela e Tobias brigam várias vezes no livro por causa das ações dela. É também nessa busca da morte que acontece um dos momentos mais triste entre eles, nesse livro. Que é a imagem utilizada na resenha.

Assim como o primeiro livro, esse tem várias mortes e de maneiras que ninguém espera. Outro casal é separado, novos divergentes são descobertos, alguém fingiu ter morrido , segredos são guardados, enquanto outros são revelados na frente de todos depois de uma batalha. Insurgente tem tudo para segurar quem está lendo e o final te deixa curioso para saber o que tem atrás da cerca.

INSURGENTE
Título original: Insurgent
Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco – Jovens Leitores
Páginas: 511

Por: Yasmim Bragaia

Anúncios

Um comentário em “RESENHA: Insurgente

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s